Contos

Publicado a 03/11/2015, 03:46 por Vítor Rocha   [ atualizado a 03/11/2015, 03:50 ]

Uma amizade improvável

 

Era uma vez uma gatinha e um cão.  A gatinha e o cão viviam no campo e eram vizinhos. A gatinha chamava-se Fifi, era muito bonita, branquinha e com um pêlo sedoso e era muito vaidosa. O cão chamava-se Snoopy era bonito, tinha o pêlo castanho e era muito brincalhão.   A mãe da Fifi era muito rígida e por isso não deixava que a Fifi fosse brincar com animais de outras espécies, dizia que os outros animais eram maus e por isso a Fifi não se devia aproximar deles.

Certo dia numa tarde de Primavera a Fifi estava sozinha em casa porque a sua mãe tinha ido ás compras e então a Fifi como estava aborrecida decidiu ir para o campo correr atrás das borboletas.  Algum tempo de pois apareceram outros animais na rua e começaram a brincar, o Snoopy foi ao pé da Fifi e disse:

- Olá Fifi queres vir brincar connosco?

A Fifi ficou um pouco pensativa e disse:

- Olá Snoopy, não sei se deva, a minha mãe disse para não brincar com vocês porque vocês são maus.

E o Snoopy respondeu:

- Nós não somos maus Fifi, vem brincar connosco e vais ver que vais gostar!

A Fifi lá foi brincar com os outros animais e viu que eles não eram maus como a sua mãe dizia a partir desse dia a Fifi ficou amiga dos outros animais e a sua mãe viu que afinal os outros animais não eram maus. E ficam todos amigos para sempre.  

 

“Não devemos julgar os outros pela sua aparência.”

Ana Catarina Carvalho nº 1

Soraia Marques nº 15

Turma 5º B


O CAVALO E CÃO

                     

Era uma vez um cavalo branco que estava a pastar no campo verdinho e cheio de flores.

Passado algum tempo aparece um cão preto e branco muito pequenino, que por ali andava a passear.

O cavalo e o cão tornaram-se muito amigos e foram tomar banho no rio, era muito bonito e a água era transparente, via-se os peixinhos a nadar.

Por cima do rio havia uma grande ponte que já estava muito velhinha, a madeira estava estragada e fazia barulhos estranhos.

O cavalo perguntou:

- Amigo, vamos passar para o outro lado do rio?

O cãozinho respondeu:

- Não achas muito perigoso?

O cavalo afirmou que:

- Não, já passei por aqui muitas vezes e a ponte não se partiu, vamos, anda.

O cãozinho estava muito assustado e não sabia o que fazer, se devia acreditar ou não no cavalo, mas decidiu passar a ponte, mas ela partiu-se.

O cão ficou assustado e agarrou-se à corda mas ela não aguentou e o cão foi arrastado pela corrente e ficou encalhado num ramo de uma árvore.

O cão gritou:

- Socorro, socorro, vem salvar-me meu amigo!

O Cavalo respondeu:

- Tenho medo da corrente mas como és meu amigo vou ter contigo.

O cavalo entra no rio e coloca o cão às suas costas e leva-o para o campo e a partir desse dia ficaram sempre amigos e nunca mais se separaram.

Se tens um amigo em perigo salva-o e não o deixes sozinho.

 

Carolina Tomé nº 5

Lara Fradoca nº 10      

Turma 5º B


A lesma e o caracol


Era uma vez uma lesma muito vaidosa que pensava que era mais rápida que o seu vizinho caracol, e por isso estavam sempre a discutir.

Até que um dia o caracol desafiou a lesma a fazer uma corrida, e ela aceitou.

No dia seguinte depois do pequeno-almoço estavam ao pé da árvore do melro Fortunato para iniciarem a corrida, quando começaram a corrida que ia a ganhar era a lesma, mas de repente caiu e o caracol passou-lhe á frente e acabou por ganhar.

Quando a lesma viu que o caracol era um óptimo corredor começou-se a apaixonar e o caracol também.

Logo de imediato o caracol pediu a lesma em namoro e ela aceitou.

E daquele dia em diante tornaram-se o casal mais feliz do bosque. Pensar que se é melhor que os outros dá azar.

 

Mafalda e Raquel    

Turma 5º A


O coelho e o esquilo

 

Era uma vez um esquilo branco chamado André e o seu amigo coelho Jajão, o rufia lá do sítio.

Numa bela manhã de verão, eles estavam a passear pelo Egipto e viram um pergaminho com um mapa. Seguiram o mapa que os guiou até uma pirâmide. Entraram e quando quiseram sair a porta fechou-se.

- Quem é que apagou a luz?- perguntou o esquilo.

- Não sei.- Respondeu o coelho assustado.

As luzes ligaram-se e o esquilo reparou que estava uma múmia ao fundo do corredor olhando para eles. O coelho sabia karaté, desfez a múmia em pó deitou a porta a baixo e fugiram.

- Fazemos uma boa equipa.- Disse o esquilo- Vamos ver o futebol para a minha casa?

- Sim vamos!

 

Margarida Carvalho nº 12 e Matilde Baptista nº 13

Turma 5º B


A toupeira e a lebre

 

Era uma vez uma toupeira que estava a fazer buracos numa floresta, de repente apareceu uma lebre e disse-lhe:

- Senhora toupeira, a melhor escavadora, que segura uma bela maçã na boca.

E continuou a dizer-lhe:

-Majestosa toupeira a melhor escavadora do mundo, porque não me mostra os seus buracos?

E de repente a toupeira abre a boca e salta-lhe a maçã. E a maçã começou a rolar pelos montes do bosque e a lebre começa a correr atrás da maçã.

A toupeira com vontade de chorar e ao mesmo tempo rir disse-lhe:

-Ah, ah, ah, ah, eh, eh, eh, eh! Ó não, a minha maçã! Eu queria come-la.

Depois a lebre volta com a maçã nas mãos e diz:

- Ah, ah, ah, ah! Muito riso e pouco siso.

 

FIM

 

Margarida Dias nº 9

Carolina Lourenço nº 5

Turma 5º A